NOVA ÁGUIA | Filosofia & Cultura Lusófona

A REACÇÃO CONTRA O POSITIVISMO E O MOVIMENTO DA RENASCENÇA PORTUGUESA

Coord.: Maria Celeste Natário, António José de Brito, Renato Epifânio


A reacção anti-positivista, não assumindo a uniformidade ou quase uniformidade da concepção de que se dizia antagonista, não deixou de assumir posição destacada, estando na origem do renascimento especulativo no nosso país nas duas últimas centúrias. Merece, assim, ser estudada seriamente.

O positivismo foi uma corrente filosófica nos finais do século XIX, de tal modo dominante que se tornou uma espécie de moda. Penetrou, profundamente, nos estabelecimentos de ensino, no jornalismo, na política, recebendo, em certos planos, uma aberta consagração legal.

Não parece de estranhar que despertasse a resposta crítica de adversários relevantes, que não estavam dispostos a aceitar-lhes passivamente as directrizes.


Autores: António José de Brito, Pedro Baptista, Joaquim Domingues, Maria Celeste Natário, Pedro Baptista, António Braz Teixeira, J. Pinharanda Gomes, Renato Epifânio

Índice Excerto
Nº de Páginas: 170 | Formato: 16 x 23 cm | ISBN: 978-972-8958-72-5

© 2009, Zéfiro - Edições e Actividades Culturais