GOSTARIA DE MORRER NAQUELA NOITE
Fernando Chiotte


Ventos do Imaginário
16 x 23 cm - 240 págs.
 
Excerto

P.V.P.

Encomendas Internet
(10% desconto)

12 €

10,80 €

Regressar à página inicial

Gostaria de Morrer Naquela Noite é um grande título e mais um bom livro de Fernando Chiotte. Provavelmente aquele em que a sua capacidade de ficcionista é tal, que nos leva a pensar que o que lemos mais não é do que tirar esqueletos do armário e acertar contas com a memória.

Em 240 páginas, Fernando Chiotte traça um retrato claro da amizade, dos novos afectos, do romper de outros, de paisagens africanas, das guerras – aquela que viveu e da 2ª Guerra Mundial que vivencia através da memória dos que a viveram, dos ritos judaicos, das leis da sobrevivência, da corrupção, da libertação possível, da destruição que liberta.

Como forma de enquadrar a aventura judaica durante a guerra de 39/45, pinta em curtas mas precisas pinceladas um retrato claro do que foi essa guerra, falando levemente mas de forma definitiva em duas noites tristemente célebres, a das Facas Longas e a de Cristal, degraus significativos do desenvolvimento do ovo da serpente nazi.

Carlos Vieira Reis in Prefácio

 

 

 

Fernando Jorge Chiotti Tavares nasceu em Bragança a 11 de Novembro de 1936, tendo-se licenciado em 1967 pela Faculdade de Medicina de Lisboa. É especialista em Oftalmologia pela Ordem dos Médicos. Fez o cursos de pós-graduação em Laserterapia Oftalmológica, como assistente no Hospital Universitário de Gent, Bélgica. É Chefe de Serviço de Oftalmologia no Hospital de Santa Maria, aposentado. É também Presidente da Sociedade Portuguesa Interdisciplinar de Laser Médico. É sócio da SOPEAM - Sociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos. Autodidacta, trabalhou durante dois anos sob a orientação dos pintores Manuela Pinheiro e Vitor Belém. Os seus trabalhos figuram em colecções particulares em Portugal, Espanha, França, Inglaterra e Bélgica. Dedicou-se à escrita, e publicou o seu primeiro romance em Março de 2000, O Fechar do Círculo. Com esta obra ganhou o Prémio da Revelação-Ficção e Ensaio 1999 da SOPEAM. O seu segundo romance, com o título Cova de Lobo foi publicado em Outubro de 2001. Foi apelidado de "obra de fôlego" pelo Júri de Selecção de Novos Autores Portugueses 2001 do IPLB. Em Dezembro de 2003 foi publicado o seu terceiro romance Soltam-se as Amarras, tendo recebido a primeira menção honrosa da SOPEAM.