VENTOS DA HISTÓRIA | História

12 €
Internet: 10,80 € (-10%)

OS ÚLTIMOS DIAS DA MONARQUIA

Jorge Morais


1908 - 1910: DA ESPERANÇA DE TRÉGUAS À INSTAURAÇÃO DA REPÚBLICA

Em 6 de Outubro de 1910, telegrafando o fim da Monarquia para a Gazeta de Notícias, do Rio de Janeiro, Eduardo Schwalbach escreveu com uma ironia de fel: «Ao cabo de longos e porfiados esforços, os monárquicos acabam de implantar a República em Portugal.»

 

A TRÉGUA FRUSTRADA: O DESCONHECIDO "PACTO LIBERAL" DE 1908 ENTRE REPUBLICANOS E MONÁRQUICOS

Em Abril de 1908, pouco depois do regicídio, dois dirigentes republicanos e um áulico da Corte de D. Manuel II congeminaram, em casa de Bernardino Machado, um pacto de tréguas que convinha às duas partes: exonerando os republicanos da má fama de envolvimento na matança do Terreiro do Paço, daria à Monarquia o “benefício da dúvida” e ao regime um último fôlego, tão necessário no início do novo Reinado. Apesar de acarinhado pelo jovem Rei e apoiado pelo primeiro-ministro, o pacto foi frustrado nos corredores do Poder pela feroz oposição de um dos líderes monárquicos; e a sua inviabilização esteve na origem da opção revolucionária dos inimigos do regime, que acabaria por conduzir à instauração violenta da República, em 5 de Outubro de 1910. Apesar da sua importância para a compreensão do processo republicano português, o “Pacto Liberal” (como então se lhe chamou) tem permanecido até hoje omisso na história “oficial” do período. É dessa trégua gorada que este livro se ocupa, documentando os últimos dias de um regime condenado pela cegueira de muitos e pela ambição de alguns.

 

«Obra lúcida e certeira, que vem enriquecer sobremaneira a historiografia deste período.»

«Jorge Morais tem-se afirmado nos últimos anos como autor de brilhantes ensaios historiográficos, baseados em sólidas pesquisas de fontes […]. Dotado de um notável poder de síntese e servido por uma escrita ágil e fluente, Jorge Morais conseguiu prender o leitor da primeira à última linha sem nunca sacrificar o rigor da investigação ou evitar a convocação do imprescindível corpus documental.»
Prof. Doutor António Reis in Prefácio


Com a presente obra, Jorge Morais encerra um ciclo de estudos e ensaios sobre o período de transição da Monarquia para a República em Portugal. Das suas pesquisas resultaram, entre outros, os seguintes trabalhos: «O Desembarque» (estudo sobre a partida da Família Real para o exílio, in O Embarque – Um Dia na História de Portugal) e Com Permissão de Sua Majestade (ensaio sobre a participação da Maçonaria e da Família Real inglesa no 5 de Outubro de 1910). Na Zéfiro publicou Regicídio – A Contagem Decrescente (investigação sobre a preparação do assassínio do Rei D. Carlos e do Príncipe Real). É também autor, entre outras obras, de Dom Duarte (perfil biográfico do 22.º Duque de Bragança); Aventuras Trans-Ideológicas – Alteridade e Transgressão (ensaio sobre a deriva política do poeta Ezra Pound); e Rua do Ácido Sulfúrico (estudo sobre Alfredo da Silva e as políticas sociais da CUF). Em 2006 foi-lhe atribuído o Prémio Bocage de Ensaio pelo livro Bocage Maçon (estudo bibliográfico sobre o Iluminismo Maçónico em M. M. Barbosa du Bocage).

Índice Excerto
Nº de Páginas: 248 | Formato: 16 x 23 cm | ISBN: 978-989-677-000-6

DO MESMO AUTOR
 

REGICÍDIO - A CONTAGEM DECRESCENTE
 

© 2009, Zéfiro - Edições e Actividades Culturais