NOVA ÁGUIA | Filosofia & Cultura Lusófona

O TEÍSMO MEDIEVAL

Maria Leonor L. O. Xavier


UMA OBRA QUE ASSINALA O 7º E O 9º CENTENÁRIO DA MORTE DE DOIS DOS MAIS EMINENTES FILÓSOFOS MEDIEVAIS:
João Duns Escoto (1308 - 2008) & Santo Anselmo (1109 - 2009)

Assinalando duas efemérides muito próximas entre si – o sétimo centenário da morte de João Duns Escoto em 2008 (1308-2008) e o nono centenário da morte de Santo Anselmo em 2009 (1109-2009) – cumpre-nos não deixar apagar-se a memória acerca de duas das mais eminentes referências da história da filosofia ocidental, que, sobrevivendo à passagem dos séculos, continuam a ser capazes de estimular a nossa auto-compreensão em contexto civilizacional.

Este conjunto de estudos nada mais faz do que celebrar o vigor especulativo dos dois filósofos medievais nos nossos dias. Esse vigor manifesta-se especialmente no tratamento filosófico de um tema maior e estruturante da mundividência dos pensadores medievais, como era o tema de Deus. Com efeito, dentro de uma cultura cristianizada, como era a da Europa medieval, o teísmo quer de Anselmo quer de Duns Escoto não era um teísmo exclusivamente confessional ou somente devoto; era um teísmo que exigia auto-questionar-se, auto-compreender-se e auto-justificar-se. Um crente filósofo, outrora como agora, não pode ser só crente.

Tanto o teísmo anselmiano quanto o escotista são teísmos filosóficos, que, sendo medievais, fazem ruborescer de ingenuidade muitas confissões teístas actuais e, correlativamente, ateístas. Os dois teísmos, não sendo singularmente o mesmo, são estruturalmente consonantes entre si. Nos dois pensadores teístas, o Doutor Magnífico e o Doutor Subtil, nós encontramos dois membros de uma mesma família de pensamento, que partilham remotas influências comuns e que continuam hoje a atrair seguidores e críticos, bem como, entre uns e outros, admiradores.


Maria Leonor Lamas de Oliveira Xavier é Professora Associada do Departamento de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde lecciona, entre outras, a disciplina de Filosofia Medieval. Membro da Sociedade Internacional para o Estudo da Filosofia Medieval (SIEPM), do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa (CFUL) e da Sociedade Portuguesa de Filosofia Medieval (SPFM). Autora de: “Introdução e Comentários” a O Mestre, de Santo Agostinho (1995); Razão e Ser. Três Questões de Ontologia em Santo Anselmo (1999); Questões de Filosofia na Idade Média (2007); bem como de dezenas de artigos publicados em obras colectivas e revistas de filosofia. Tradutora de: Teologia Mística. Textos de Pedro Hispano e Tomás Galo (2008). Coordenadora de: A Questão de Deus na História da Filosofia I-II (2008); o Projecto de Filosofia FCT / CFUL «A Questão de Deus. História e Crítica» [PTDC/FIL/64249/2006]. Blogue informativo: www.aquestaodedeus.blogspot.com

Índice Excerto
Nº de Páginas: 104 | Formato: 16 x 23 cm | ISBN: 978-972-8958-99-2

DA MESMA AUTORA


A QUESTÃO DE DEUS NA HISTÓRIA DA FILOSOFIA - VOL. I
(Coord.)


A QUESTÃO DE DEUS NA HISTÓRIA DA FILOSOFIA - VOL. II
(Coord.)

© 2009, Zéfiro - Edições e Actividades Culturais