Zéfiro | Saint-Yves d’Alveydre
Utilizamos cookies para dar uma melhor experiência e eficiência de navegação. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.
Entendi
Por favor aguarde

Saint-Yves d’Alveydre

Joseph-Alexandre Saint-Yves nasceu em 26 de março de 1842, em Paris. Sua infância foi infeliz, em virtude de conflitos com seu pai, que decide matriculá-lo, aos 13 anos, na Colônia de Metrray, uma escola correcional criada por um conselheiro do Tribunal de Instância de Paris, Fréderic-August Demetz. Este se tornou, para Saint-Yves, seu pai espiritual. De volta ao lar, sem melhora no relacionamento com o pai, este obriga o filho a se alistar na Infantaria da Marinha.

Graças à intervenção de Demetz, Saint-Yves tem a permissão paterna para prosseguir seus estudos na Escola de Medicina Naval de Brest, na qual permaneceu por três anos, abandonando, aos 22 anos, os bancos escolares por motivos desconhecidos. Decide, então, conviver com os exilados políticos do segundo Império na Ilha de Jersey, provavelmente para ter a oportunidade de conviver com seu grande ídolo, Victor Hugo. Lá conhece Adolphe Pelleport, cuja avó, Virgine Faure, muito culta, havia sido ligada ao ocultista Fabre d’Olivet. É então que Saint-Yves passa a estudar toda a obra deste e de outros autores clássicos, formando uma base cultural que muito lhe seria útil mais tarde.

Com a deflagração da guerra de 1870, Saint-Yves volta à França e conhece a Comuna de Paris, que iria marcá-lo profundamente e conduzi-lo a reflexões políticas e sociais, iniciando-se aí sua ambição em descobrir uma forma política propícia a estancar a violência nas relações sociais. Aos 36 anos, casa-se com a rica condessa Marie-Victoire de Risnitch, 50 anos, divorciada do conde Edouard Fiodorovitch Keller. Com a independência financeira, Saint-Yves passa a se dedicar apenas aos estudos ocultistas e à tentativa de formular a Sinarquia. Desenvolvendo seus dons sensitivos, passa a ditar suas obras em uma espécie de êxtase contínuo denominado “Missões”.

Em 26 de junho de 1903, Saint-Yves obtém a patente da invenção do Arqueômetro, quando explicou como utilizá-lo para obter a estrutura musical de uma catedral ou a “arquitetura falante” de um canto. Com sua morte, em 6 de fevereiro de 1909, as pesquisas a respeito do Arqueômetro são cessadas.

O Arqueômetro

Preço: 23.92 € 29.90 €

Missão da Índia na Europa

Preço: 11.12 € 13.90 €